segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Magno Malta Promete Renunciar Se PLC 122/06 For Aprovado



O pastor e senador Magno Malta, parlamentar da Frente da Família, promete deixar o Senado caso o PLC 122 seja aprovado e interpelar judicialmente o deputado federal Jean Wyllys. As declarações foram feitas em entrevista à revista Comunhão.
Senador Malta afirmou que também interpelará o deputado Jean Wyllys devido acusações de ser de ‘má fé’, ao relacionar o homossexualismo com a pedofilia
O pastor e senador Magno Malta, parlamentar da Frente da Família, promete deixar o Senado caso o PLC 122 seja aprovado e interpelar judicialmente o deputado federal Jean Wyllys. As declarações foram feitas em entrevista à revista Comunhão.
O senador, que tem lutado contra a aprovação do projeto desde sua primeira proposta em 2006, agora promete que se o projeto de lei for aprovado ele renunciará. “Se o Projeto de Lei 122, que excita a criação de um terceiro sexo, for aprovado, com dignidade de cristão, renuncio do mandato de Senador da República”, afirmou Malta.
Para o senador “criar castas, mudar costumes enraizados pela própria natureza e proteger a minoria com privilégios são fatos reais que ferem a justiça social em toda conjuntura”.
O projeto tem sido tema de grande impasse no governo, em que segundo os deputados evangélicos, fere a constituição, indo contra os direitos de liberdade de expressão e religiosa.
Malta também afirmou que vai interpelar o deputado do PSOL, Jean Wyllys, alegando que ele o acusa de ser de “má fé” ao relacionar o homossexualismo com a pedofilia.
“Nunca afirmei tal comparação. Pelo contrário, defendi o Vaticano mostrando a realidade dos fatos como comportamentos distintos e sem relação na grande maioria das vezes”, afirmou Magno Malta, que presidiu a CPI da Pedofilia.
O senador e presidente da Frente Parlamentar Mista Permanente em Defesa da Família Brasileira disse que “preconceito é cegueira moral, não aceito nem a intolerância e conceito imparcial”.
“Não estou legislando em causa própria, mas no mais legítimo dever de defender a família estruturada, o futuro de uma geração e de forma geral a vida na sua essência divina”.
De acordo com a pesquisa encomendada recentemente pelo Ministério da Educação, a polêmica da homossexualidade incomoda 87% da população. A maioria expressiva não aceita mudanças radicais no comportamento da sociedade.
“Por isso, em defesa dos verdadeiros valores agregados no coração da família brasileira, renunciarei meu mandato se a PL 122 for aprovada”, finalizou Magno Malta.

Direito de resposta




Direito de resposta
Sr Augusto,  recebi em meu blog na postagem sobre estudo sobre BIGAMIA,  e li os seus comentários, e para mostrar a você que meu blog é democrático já publiquei os seus  comentários,  MAS RESPEITOSAMENTE  DISCORDO,  de suas colocações;

1°  Você menciona, Mateus 19 de fato o texto fala em divórcio, mas se você não prestou atenção a palavra fala está apenas no singular confira Mateus 19:5: E disse: Portanto, deixará o homem pai e mãe, e se unirá a sua mulher, e serão dois numa só carne? 
veja bem aparece o homem, a sua mulher e em  seguida  dois. NÃO TRÊS 

2° de fato NÂO concordo mesmo com a bigamia. mas espera ai você disse que aqui não tinha comentário contrário aqui vai um link de um comentário contrário as minhas convicções e foi pulicado pois embora eu discorde do internauta ele não baixou o nível (se bem que também que também não te acuso de baixar o nível) mas PUBLIQUEI SIM  comentário mesmo o internauta discordando de meu ponto de vista eis o link:   PLC122/06 pode ser aprovado no senado em 2009

3° NÃO estou distorcendo a palavra de Deus,VOCÊ É QUE COMETE ESTE ERRO! Não sei qual é a sua convicção mas dizer o que você disse que: a palavra não condena a bigamiaé de uma ignorância grande meu amigo! O Novo testamente em todas as passagens que trata de casamento não se refere a poligamia ou bigamia mas apenas a monogamia.

4° você se refere a minha esposa na realidade onde prego a palavra esteja ela ou não presente eu prego contra a poligamia,  bigamia, casamento gay, homossexualismo etc, posso estar com ela ou na congregação, ou sozinho tenho convicção de que todas essas coisas (bigamia, poligamia, casamento gay, homossexualismo) são pragas que devem ser combatidas.

5° você  disse: “ vc não tem base bíblica”,  olha na boa você defende a bigamia,  e vem me dizer que eu não tenho base? Pelo amor de Deus pense bem vc e procure no seu intimo e vai ver realmente a palavra condena a bigamia.

6° Você me acusa de manipular os outros – Declaro a você e a todos que não sou manipulador sou formador de opiniões. Já tenho quase 20.000 visualizações de páginas e eu acredito que essas pessoas são pessoas que acreditam no conteúdo de meu blog,  dizer que eu manipulo alguém é OFENDER os seguidores e os leitores deste blog, e meus seguidores e meus leitores MERECEM RESPEITO, dizer que manipulo pessoas com este blog é o mesmo de chamar de as pessoas de ingenuas e idiotas e não é isso que elas são, elas merecem todo respeito, e  ao contrário do que você pensa elas SÃO INTELIGENTES SIM!

7° Também falaste: É uma pena que só seja postado o que vc acredita ou pensa” – Respondo o seguinte: de quem é o blog? Não é meu? Não posso postar o que eu penso ou acredito?
Veja o que diz o artigo 5°, da Constituição Federal
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

8° Em  relação as mulheres da Arábia Saudita digo:  DOIS ERROS NUNCA FARÃO UM ACERTO! O erro da lei saudita, que teve sua semente lá no começo com Lameque com a bigamia, que por sua vez com o passar do tempo gerou a poligamia, não pode ser perpetualizada,
digo uma situação:  se uma mulher desamparada que se prostitui para arranjar o que comer se ela aceitar Jesus Cristo como salvador e Senhor, ela deve abandonar seus pecados?ela deve parar de se prostituir?
Se um homem que tem uma vida toda errada, tem família por tudo que é lugar, tem filhos com pelo menos digamos duas, mas um dia ele aceita Jesus Cristo deve ele abandonar ele a mulher ilegítima ou não?

9° Não sei quem você se refere ao falar “fariseu”, mas digamos que esteja se referindo a um outro Pastor,  Mas digo se o Pastor for mesmo homem de Deus ele terá de Deus um preparo pra lidar com esta situação, afinal de contas pra se ser pastor na Arábia Saudita tem de ser mesmo muito bem preparado, muita oração e jejum e Deus destruirá toda obra do Diabo e dará a vitória a essa “FAMÍLIA” diga-se uma coisa, na própria lei dos Sauditas privilegia a PRIMEIRA ESPOSA  pra que não paire dúvidas.

10° Não entendi bem o que você falou quando disse: "Porque na verdade a Lei está acima do amor !! E aí uma pergunta !! Estamos preparamos em"  mas mesmo assim digo o amor à Deus é a maior de todas as leis, e quem de fato ama à Deus ama seu próximo.

Desculpe  Augusto não ter respondido antes mas por motivo de força maior estive ausente.
Fica na Paz.

domingo, 13 de janeiro de 2013

Pastor é preso em São Paulo por pregar contra o homossexualismo.

Já começou!



Estas são as palavras do cidadão que filmou tudo, a partir do ceu celular, e postou no Youtube:
"Um pastor é detido na Praça da SÉ após pregar sobre práticas homossexuais. Na Praça da SÉ existem alguns pastores que pregam todos os dias, e cada dia é um pastor diferente. Hoje por volta das 15h00min 28/06/2011 um pastor que pregava sobre práticas homossexuais, citando versículos bíblicos etc., foi detido e levado para prestar depoimento na delegacia. Segundo testemunhas um "ouvinte" que passava por ali se sentiu ofendido com as palavras que o pastor dizia, e logo chamou a polícia que tentou amenizar a situação, mas devido ao tumulto um policial usou spray de pimenta para afastar curiosos e ouvintes. Alguns ouvintes não queriam deixar o pastor entrar na viatura, e assim começou o tumulto, alguns policiais estavam pegando os celulares das pessoas que estavam, filmando, foi por isso que tive que encerrar minha filmagem, , infelizmente! "A LEI PL 122, NEM FOI APROVADA, E JÁ VEMOS AUTORIDADES IMPEDINDO PREGADORES OU PASTORES DE PROFERIR PALAVRAS OU FRASES QUE DIFEREM A PRÁTICA HOMOSSEXUAL".
NOTA: Isto é um ultraje, um ataque direto à liberdade de expressão e culto, que são GARANTIDOS pela constituição. Se houvesse um homossexual pregando sobre seu estilo de vida, como acontece com inúmeras "dragqueens", que aparecem a torto e a direito pelas ruas das capitais deste país, ninguém poderia lhes censurar o direito de se expressarem! Mas, porque um Pastor está citando a BÍBLIA, tem de ir à delegacia??? Por quê??? Vou requerer, quando vir uma dragqueen andando e falando bobagens na ruaque a mesma vá, também, à delegacia, pois poderei dizer que está me ofendendo com aquela conduta!

Ponto negativo para a PM de São Paulo, que deveria saber O MÍNIMO sobre os direitos civis!

Em Cristo Jesus,
Pr. Artur Eduardo


Fonteartureduardo.blogspot.com.br

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

A verdade sobre perseguição de cristãos no Irã

João Cruzué

Foi muito louvável a atitude das autoridades políticas e religiosas brasileiras sobre o encaminhamento e o desfecho da questão Youcef Nadarkhani, o pastor iraniano que foi condenado à morte e depois sentenciado a três anos de prisão por, supostamente, pregar o Evangelho na cidade de Rasht, no Norte do Irã. Quero destacar o esforço do Vice-Presidente Michel Temer, dos Senadores Magno Malta e Marcelo Crivella, Pr. Silas Malafaia dentre tantos nobres e conscientes líderes religiosos. Entretanto, o sucesso desta empreitada foi apenas um pingo d'água em um oceano de perversidade, pois a perseguição de minorias religiosas pelas autoridades do Irã, notadamente das Igrejas Cristãs, é endêmica e que o caso Nadarkhani foi só um boi de piranha ao contrário, para inglês ver. O pastor Nadarkhani está a salvo, mas uma multidão crescente de líderes cristãos anônimos estão mofando nas prisões iranianas sem ninguém que as veja. Oração é muito importante, mas há muita coisa, de nossa responsabilidade, que pode ser feita no terreno humano.

Ela depõe contra a História da grande Pérsia da era de Ciro e Dario, exaltados na Bíblia como benfeitores do povo hebreu pós-exílio babilônico. Hoje, esta grandeza esta sendo atirada no lixo por uma ditadura apelidada como islamita, que da essência do Islã talvez não tenha nada. Já tenho feito cobertura de perseguições religiosas, como a praticada no estado indiano de Orissa no ano de 2008. Não sou neófito nestas questões, Inclusive, por ter me tornado crente no começo dos anos 70s. Mas fiquei grandemente indignado ao traduzir o nome da última campanha de Perseguição de Natal das autoridades iranianas da cidade de Rasht, onde vive o Pastor Nardakhani.

Assim como na Índia, é costume das "pequenas" autoridades iranianas aproveitarem a celebração do Natal para recrudescer e incitar a covardia contra os cidadãos cristãos do Irã. Poucos de nós temos uma visão realista sobre o que é ser um cristão no Irã. Se no meu tempo de moço, novo convertido, aqui no Brasil, chovia pedra nos telhados das Igrejas pentecostais, pais (católicos) expulsavam de casa os filhos que "passavam para a Lei dos crentes", empregados ameaçados de dispensa por não comprarem cigarros para o patrão - que dirá, então, o que vem acontecendo no Irã, um país que tem uma constituição laica, mas os costumes totalmente enraizados no Islã?

Imaginem, qual foi o nome dado pelas autoridades político-religiosas da cidade de Rasht, famosa pelos maus tratos e prisões de cristãos - leia-se, Youcef Nadarkhani, da sua última campanha de perseguição realizada no Natal (2012) Passado?

"Christmas Gift" - Traduzindo: "Presente" de Natal.

No meu post anterior, há um parágrafo em que uma congregação inteira da Igreja Assembleia de Deus da cidade de Ahwaz foi presa, incluindo as crianças que estavam na Escola Dominical. Todos os celulares foram apreendidos pela polícia. Telefones de contatos, senhas de endereços de e-mail, senhas de sites de redes sociais - tudo foi inquirido e confiscado. Na prisão, ficou o velho pastor de 60 anos que é dependente de tratamento de hemodiálise. Visita familiar? eventualmente, no local onde, de vez em quando, a polícia leva para tratar da saúde. O nome deste pastor, e de dezenas, centenas de outros não tiveram a mesma sorte de ter seus nomes conhecidos mundialmente.

Falta empenho de nossa parte nesta questão. Parece que o caso Youcef Nadarkhani enfastiou a blogosfera nacional e mundial. O caso foi tão veiculado, que saturou a opinião pública. Ficamos satisfeitos, e as autoridades iranianas, também

E enquanto nós cansamos, a perseguição recrudesce no Irã. Desculpe a expressão, mas ela retrata fielmente a opinião do fato: O pastor Nadarkhani foi uma espécie de "boi de piranha" ao contrário. Enquanto a mídia mundial ficou concentrada apenas nele, mais acima nas cadeias, um rebanho inteiro de pastores, congregações e crentes são enxovalhados, esculhambados, humilhados, enforcados, presos, celulares e senhas confiscados, líderes deixados para mofar e morrer nas cadeias, debaixo daquele grande tapete persa.

As autoridades políticas e religiosas do Irã estão morrendo de rir da nossa ignorância. Estão satisfeitos com o desfecho do caso do Pastor Nardakhani, que diga-se de passagem, não foi deixado em paz - está de novo na prisão (no começo de 2013) para cumprir o resto de supostos 45 dias de prisão de uma sentença de três anos.

Os sites cristãos americanos Mohabat News e CSW há muito estão botando a boca no trombone.

O problema da informação sobre perseguição nos nossos blogs cristãos é que cada um olha uma informação sem ver a DATA data notícia. Eu vi a confusão que isto traz. Na primeira página da busca do google havia notícias que davam conta da morte, da prisão e nada sobre a libertação do Pastor Youcef. Páginas e páginas de desinformação. E, na verdade, naqueles dias estava sendo liberto. De minha parte, sei que todo notícia deve ser tratada com ceticismo, dúvida, até sua perfeita averiguação. Biblicamente, com a mesma atitude dos cristãos bereanos, diante da pregação de Paulo.

De prático o que podemos fazer? Muita coisa.

Sempre fui partidário do boicote, como forma política de chamar a atenção de uma maneira mais abrangente. Incentivo a todo leitor deste post que pesquisa nas várias fontes da internet e descubra que produtos o Irã vendo no Brasil. Minha recomendação: boicote todos eles e divulgue na internet seus nomes, sua procedência, exponha a público o supermercado e a casa comercial que os venda!

Por exemplo: eu não como pistache, mas descobri que este tipo de noz vêm do Irã. Quer uma lista dos produtos exportados - aqui vai: produtos top exportados pelo Irã. Além de deixar de comprar, se você é consumidor de algum destes produtos, abra a boca. Divulgue na internet, conscientize e boicote. Você pode criar uma marolinha, e ore para que ela chegue ao tamanho de um tsunami que atinja de modo significativo as exportações do Irã.

Outro exemplo: As autoridades brasileiras devem importar petróleo do Irã. Elas não podem fazer este tipo de boicote. Mas, nós podemos. Qual é a refinaria que processa o petróleo de lá? Ele é distribuído pela Petrobrás? Abasteça em postos de outra bandeira! Mas sobretudo, divulgue o que esteja fazendo, para que outros também se conscientizem. Esta é a minha sugestão para contribuir e me solidarizar com os pastores presos, que passaram o Natal longe de suas famílias. Enquanto eu e você, meu querido, comíamos um belo peru ou pernil assado no Natal, aqueles perseguidos estavam, talvez, passando fome de comida e de justiça! É importante termos uma consciência mais sensível, não para piorar ou destruir o Irã, mas para levar suas autoridades a torná-lo mais humano e mais tolerante, como, graças a Deus, acontece no Brasil.

Para mim não basta descer a "lenha" no Irã na internet, se na minha casa eu estiver financiando o regime dos perseguidores, por comprar produtos de suas indústrias.

Como outra atitude, pessoalmente vou escrever para alguns mandatários estrangeiros sugerindo este boicote. É pouco? Pode ser, mas é uma atitude concreta.

É sim senhor. Em pleno terceiro milênio, o Irã e a Índia, hoje, são de longe os maiores perseguidores de cristãos do mundo. E todo Natal, enquanto nós comemoramos aqui com festa e assados, nestes dois países, principalmente no Irã, cada tiranete municipal abre a temporada natalina de caça aos cristãos. E a nível nacional. Isto é muito útil, principalmente no ano que antecede as eleições nestes lugares. Quanto mais perseguição e mais crente na cadeia, mais voto!

É possível agir. Divulgar. Conscientizar. E boicotar.

Se nada for feito, o novo governo do Egito, o atual governo do Iraque, o próximo mandatário da Síria, vão copiar de forma análoga o expediente persecutório do Irã. Por que? Porque as novas autoridades destes países têm forte influência iraniana.

Fonte: olharcristão.blogspot.com

sábado, 5 de janeiro de 2013

Sermão de Billy Graham: A Vitória é Nossa.

Sermão de Billy Graham: A Vitória é Nossa.
Billy Graham


Tradução de João Cruzué

Nosso maior inimigo é a morte. A morte implica em certo temor. A Bíblia diz que: "O aguilhão da morte é o pecado," e a partir do momento em que o primeiro casal sepultou seu filho em uma cova, as pessoas vêm temendo a morte. É o grande monstro misterioso cujos grandes dedos gelados fazem muitos se estremecerem aterrorizados.

O testemunho unânime da história é que a morte é inevitável. Gerações vêm e vão, e cada uma tem deitado seus mortos na tumba.

A Bíblia sempre relaciona a morte com o pecado. Ela diz que: "Como o pecado entrou no mundo por um homem, e pelo pecado a morte, assim a morte infectou a todos os homens porquanto todos pecaram."

Estamos procurando prolongar a vida mediante fórmulas químicas nos laboratórios científicos de todo o mundo. Mas até que a ciência não pode encontrar uma solução para o problema da morte. Ainda assim, os cientistas descobriram um segredo que prolonga a vida terrena, ao mesmo tempo só conseguiriam êxito em estender nossos dias de tristeza e aflição.

Centenas de filósofos de todas as épocas têm procurado esquadrinhar mais e além do véu da morte. Suas especulações enchem volumes com respeito às possibilidades de vida além da sepultura.

A morte ronda entre ricos e pobres, eruditos e ignorantes. A morte não faz distinção de raça, cor nem credo. Suas sombras nos acercam dia e noite. Nunca sabemos quando chegará o momento temido.

Procuramos dissimular o desastre custeando um seguro de vida, e temos inventado outros mecanismos para tornar mais confortáveis nossos últimos dias; todavia sempre está presente a dura realidade da morte.

Muitos se perguntam: Há alguma esperança? Existe alguma porta de escape? Há uma possibilidade de imortalidade?

Não vou levá-los a um laboratório científico, nem à aula de um filósofo, nem ao consultório de um psicólogo. Em seu lugar, vou levá-lo à tumba vazia de José de Arimateia. Maria, Maria Madalena e Salomé tinham ido à tumba para ungir o corpo do Cristo crucificado. Elas ficaram surpresas ao ver a tumba vazia. Um anjo se colocou ao lado do sepulcro e lhes disse: "Buscais a Jesus nazareno? E logo adiantou: Ele ressuscitou, não está mais aqui."

Esta foi a maior notícia que o mundo jamais tinha ouvido. Jesus Cristo havia ressuscitado dentre os mortos, como havia prometido.

A ressurreição de Jesus Cristo é a verdade primordial da fé cristã. Ela descansa na mesma raiz do Evangelho. Sem uma fé na ressurreição não pode haver salvação pessoal. A Bíblia diz: "Se confessares com tua boca que Jesus é o Senhor, e creres em teu coração que Deus o levantou dos mortos, serás salvo." Temos que crer nisto ou nunca poderemos ser salvos.

Para muitas pessoas a ressurreição tem chegado a ser pouco mais que um símbolo consolador da imortalidade da alma. Porém, a ressurreição abarca muito mais que a perpetuidade da vida. Crer na imortalidade por si mesma poderia ser algo trágico e horrível. A Bíblia ensina que a fé deve ser acompanhada de uma segura convicção de que Deus uma existência eterna em sua presença gloriosa, através do conhecimento pessoal de seu Filho.

Começamos com o fato de que ao terceiro dia, Jesus Cristo havia ressuscitado dos mortos, saiu do sepulcro e apareceu aos desanimados e assombrados discípulos que haviam perdido toda a esperança de revê-lo. Sem nossa aceitação da realidade da ressurreição, essa celebração não é mais que uma ilusão. Como escreveu o apóstolo Paulo há muito tempo: "E se Cristo não ressuscitou, então é vã nossa pregação e vã também será a nossa fé"

Quando se contempla a ressurreição de Cristo como um feito histórico, o Domingo da Ressurreição se converte no dia dos dias e se deve reconhecer e celebrar como a maior vitória de todos os tempos.

A ressurreição foi, em um sentido, uma vitória suprema para a raça humana. Foi uma vitória sobre a morte: "Mas agora Cristo tem ressuscitado dos mortos; e foi feito as primícias dos que dormem." Sua ressurreição dos mortes é a garantia que também para nós a sepultura será aberta e que seremos também ressuscitados: Porque assim como em Adão todos morreram, também em Cristo todos serão vivificados."

A Ressurreição foi também uma vitória sobre o pecado: "O salário do pecado é a morte." O pecado de Adão no jardim do Éden teve como resultado a culpa, a condenação e a separação da presença de Deus. De fato, ali também se deu a gloriosa promessa de que apareceria a semente da mulher, e que Deus poria inimizade entre sua semente (Cristo) e a serpente (Satanás).

No conflito resultante, a semente da mulher seria ferida no calcanhar, porém a troca feriria a cabeça da serpente, infligindo-lhe uma chaga mortal. Isto se cumpriu e manifestado abertamente na ressurreição de Cristo.

A ressurreição também nos dá vitória sobre as dúvidas. Parece que há milhares de cristãos escravos das dúvidas. Não quero dizer que tais pessoas duvidam da existência de Deus ou das verdades bíblicas. Podemos aceitar tudo isso enquanto seguimos duvidando em nossa relação pessoa com o Deus em quem professamos crer. Algumas pessoas têm dúvidas quanto ao perdão de seus pecados, outras duvidam que sua esperança de ir ao céu, e ainda outras desconfiam de sua própria experiência interior.

Durante seu ministério terreno, Jesus fez uma série de assombrosas afirmações e promessas a seus discípulos, que podem ter lhes parecido inacreditáveis enquanto ele estava no sepulcro. Jesus lhes havia dito: "Eu vim para que tenham vida... todo aquele que vive e crê em mim, não morrerá eternamente." Porém agora ele que havia feito essas promessas estava morto, e o sepulcro estava fechado sobre aquele que havia prometido vida eterna a todos os que creram nele. SE ele não tivesse ressuscitado, teríamos motivos suficientes para duvidar da validade de suas promessas.

Mas quando ele saiu do sepulcro, todas suas promessas e suas palavras saíram com ele e hoje vivem em gloriosa vitalidade, poder e autoridade.

A ressurreição é também uma garantia da vitória sobre nossos temores. Os temores são íntimos aliados das dúvidas. O presidente da faculdade de história de uma de nossas grandes universidades uma vez me confidenciou esta opinião: "Nós temos nos convertido em uma nação de covardes." Não aceitei sua declaração, porém ele arguiu que muitas pessoas têm se mostrado resistentes a seguir um curso não se trata de algo popular. Inclusive se estamos convencidos de que algo é correto, procuramos não nos comprometer porque ficamos com temor. Se as probabilidades nos favorecem, nos colocamos a seu favor, porém se implica em algum risco em defender o que é correto, procuramos nos colocar a salvo.

Você que tem medo da morte, medo de perder a saúde ou de perder os amigos, examine as palavras de Paulo: "Porque Deus não nos tem dado um espírito de covardia, mas de poder, e de amor, e de domínio próprio." Deus nos tem dado uma viva esperança mediante a ressurreição de Jesus Cristo de entre os mortos. Este e outras passagens similares assinalam o fato de que nenhum cristão tem razão alguma perante os olhos da vontade de Deus; "Se Deus é por nós, quem será contra nós.

O poder do Espírito Santo levantou o corpo de Cristo dentre os mortos. Esse mesmo Espírito Santo, agora operando em nós, pode nos livrar dos poderes da ansiedade e do temor, e fazer com que nos regozijemos na segura e gloriosa esperança que ele tem preparado para nós.

A ressurreição nos garante a vitória em nosso dia a dia. A vitória que Cristo conquistou para nós quando ressuscitou do sepulcro pode ser vista em nossa vida diária. Pode ser manifesta em nós e por meio de nós em todo lugar, e em toda circunstância pelo seu poder ressuscitador para a glória de Deus.

Podemos estar conscientes cada dia de seu poder vitorioso operando em nós, por nós e por meio de nós para sua glória. Podemos exclamar como o apóstolo Paulo: "Mas graças sejam dadas a Deus, que nos dá a vitória por meio de nosso Senhor Jesus Cristo".

Se você fizer este compromisso com Cristo hoje, por favor, conte-nos a respeito.
Fonte: www.billygraham.org

Outro sermão de Billy Graham: Deus ainda não mudou.
http://olharcristao.blogspot.com