domingo, 9 de novembro de 2014

PT e PSOL, lixo da mesma lata


Parece até que eles são os piores inimigos, a senadora Heloisa Helena quando não estava mais no PT, vivia cuspindo marimbondos, a mulher falava até pelos cotovelos... A senadora fundou o PSOL (Partido Socialismo e Liberdade)

Eu até que por algum tempo acreditei naquilo que parecia ser um sonho um exemplo, um partido perfeito; quem  não se lembra do programa do Jô; o Jô Soares tão bem falava do PSOL.

Heloisa Helena foi a uma comissão que debatia sobre a discriminação do aborto, e ela sabiamente foi contra o aborto.

O tempo passa e o que vemos é que valores foram perdidos, vemos o PSOL  lançar a presidência da república uma candidata que defende o casamento igualitário que é Casamento entre pessoas do mesmo sexo (comumente referido como casamento homossexual, casamento gay ou casamento homoafetivo) é o casamento entre duas pessoas do mesmo sexo biológico ou da mesma identidade de gênero. Os defensores do reconhecimento legal de casamento do mesmo sexo geralmente se referem ao seu reconhecimento como casamento igualitário.

Isso é uma clara afronta à Constituição e ao Código Civil, espero que um dia o Brasil tenha um STF (Supremo Tribunal Federal) que honre a sua função que é ser guardião da Constituição, esse aí é uma lástima, sabemos disso o Joaquim Barbosa já nos advertiu.

Jean Wyllys essse deputado é autor de projetos e defensor de valores anticristãos, antifamilia e diabólicos: regulamentação da prostituição, reconhecimento  do casamento civil e a união estável entre pessoas do mesmo sexo,o deputado propõe  a regulamentação e comercialização da maconha no Brasil.

Um lixo, uma terrível podridão foi o que este deputado fez, e o partido não fez nada.

Na campanha de 2014 em seu programa eleitoral o PSOL  se supera, e coloca para a família brasileira assistir a beijos gays. Nada contra os gays, sou contra o ativismo gay. Se supõe que uma pessoa que assiste ao horário eleitoral gratuito, assista para ver as propostas de cada candidato, quem quer ver beijo gay ou hétero, ou cenas picantes vá assistir a novela da rede esgoto, ou na TV paga, alugue um dvd, sei lá isso é problema de quem quiser.
Mas por via de regra quem assiste o programa eleitoral gratuito vai assistir as propostas de cada candidato, se bem que nessa campanha teve muita gente assistindo os ataques aos adversários, mas isso é um tema para outra postagem.

Não votei em Luciana Genro, e fiz campanha contra, o que pude tirar de votos dela tirei mesmo, e se tivesse outra eleição hoje faria o mesmo.

Vemos nas redes sociais uma grande simpatia de grande parte dos petistas com Luciana Genro e Jean Wyllis  e porque? porque eles do PSOL compartilham das mesmas ideias anticristãs, antifamilia e diabólicas do PT.

Recentemente Dilma chamou Jean como representante da juventude brasileira, se ela quisesse um representante gay,  que colocasse um representante digno,  Jean NÃO!

O que eu digo afirmo novamente, PT e PSOL são lixo da mesma lata!












sábado, 8 de novembro de 2014

Perseguição Religiosa


A perseguição ela se dá de diversas formas em diferentes graus, seja na família, na escola, na rua, no trabalho até na igreja!

Os irmão da janela 10/40 sofrem com leis injustas (é claro diabólicas) que proíbem a liberdade de servirem a Cristo. 

Devemos orar e muito pelos irmãos que estão dando suas vidas em prol do evangelho de Cristo, muitos são: demitidos de seus empregos, expulsos de casa, das escolas, presos e mortos.

Devemos  lutar para NÃO perder os nossos direitos, a liberdade de culto e de expressão são conquistas nossas e num país de maioria Cristã é inadmissível que o povo que é luz e sal, assista passivamente que filhos do diabo tipo  o deputado federal satan willys, faça projetos e fiquemos calados, ISSO NUNCA, fui chamado por Deus e tenho  o prazer de ser protestante! Não apenas no sentido religioso, mas também em qualquer outras áreas seja:  social, política, financeiro.

Que Deus vos abençoe.

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

"CRISTÃOS" VOTEM NO PT: Terroristas do Hamas elogiam diplomacia do Governo Dilma

VOCÊ É A FAVOR DA MORTE DE CRIANCINHAS ? CLARO QUE NÃO, PRESUMO. SE VOCÊ É DAQUELES QUE ACREDITA QUE ISRAEL ESTÁ MATANDO CRIANÇAS NA FAIXA DE GAZA COM SEUS CONTRA-ATAQUES AO HAMAS SAIBA QUE É O HAMAS QUE ESTÁ FAZENDO SEUS PRÓPRIOS FILHOS DE ESCUDO. O GOVERNO BRASILEIRO DEVE SABER DISSO, É ÓBVIO. O GOVERNO É ANTI-SEMITAS E COMUNISTAS NÃO DECLARADOS.  E PRA PIORAR DÃO APOIO AO HAMAS. (TERRORISTAS)


E VOCÊ, O PSEUDO-CRISTÃO DIZIMISTA FIEL ABRE AS PORTAS DA SUA DENOMINAÇÃO NEO-PENTECOSTAL E ABRAÇA OS CANDIDATOS DO PT E PARTIDOS COLIGADOS A ELE.
E TEM "PASTORES" QUE AINDA FAZEM IMPOSIÇÃO DE MÃOS COM "ÓLEO UNGIDO" NESSAS PESSOAS.

BEM, QUE OS TERRORISTAS SE ENTENDEM ENTRE SÍ NÃO RESTAM DÚVIDAS 
( PARTIDO TERRORISTA BRASILEIRO E HAMAS) MAS VOCÊ QUE SE DIZ CRISTÃO APOIAR ISSO...

OU VOCÊ SE CONVERTA AO EVANGELHO GENUÍNO OU ENTÃO...

O DEUS DE ISRAEL VAI COBRAR DE VOCÊ. AGUARDE! 

Dos terroristas de lá, para o Partido Terrorista daqui, eles se entendem...

O Hamas, grupo radical islâmico que controla a Faixa de Gaza, fez elogios ao gesto diplomático brasileiro contrário às ofensivas israelenses.

“O passo do Brasil é muito importante. O Brasil está sempre ao lado da justiça. Pedimos que todos os países façam o mesmo”, disse o porta-voz Ihab al-Ghussein à Folha de S.Paulo nesta quinta-feira, 24 de julho.

Ontem, o Brasil convocou seu embaixador em Israel de volta a Brasília para consulta e publicou nota repudiando os ataques sionistas, sem fazer menção ao Hamas. Uma semana antes, o governo brasileiro havia publicado nota em que condenava “igualmente” os ataques dos dois lados.

O governo de Israel reagiu duramente, afirmando que o Brasil é “politicamente irrelevante” e que o país opta por “ser parte do problema, em vez de integrar a solução”.

Via Libertar.IN

http://www.uptualiza.com/

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Geopolítica pró-islâmica e anticristã: a ameaça aos cristãos no Oriente Médio

Julio Severo
Depois de meses de massacres sistemáticos na Síria e Iraque, onde milhares de cristãos têm sido torturados, estuprados e massacrados, surgiu uma ameaça maior aos cristãos: o Estado Islâmico do Iraque e do Levante, ou ISIS (EIIL), que está cometendo as mesmas atrocidades contra os cristãos, mas em escala muito maior.
Cristã síria
A resposta do governo dos EUA sob Barack Obama para “acabar” com a ISIS é… armar e treinar os rebeldes sírios! Mas foi exatamente aí que tudo começou. De acordo com o WND, os EUA já estavam treinando e armando esses rebeldes, que acabaram formando o que é hoje a ISIS. A “solução” americana acabou inchando o problema.
O presidente sírio Assad, como todo governante muçulmano, não é flor que se cheire. É um ditador. Mas pelo menos ele dá liberdade aos cristãos. Em seu governo, os cristãos nunca foram massacrados. Pelo contrário, Assad está combatendo a ISIS e a al-Qaida. A pergunta então é: Por que os EUA, que têm base cristã, querem a todo custo destruir um governo que protege os cristãos na Síria? Por que, para derrubar Assad, os EUA estão dispostos a se aliar a terroristas que massacram cristãos?
A resposta é simples e complexa: a Síria é aliada da Rússia, e os EUA precisam da Síria para canalizar o petróleo direto do Iraque e outros lugares para o mar Mediterrâneo. Todo o sangue cristão que está jorrando naquela região está pagando um preço elevado para atender a essas ambições petrolíferas. Maldito petróleo, que agora é mais importante do que o sangue cristão inocente.
Nesse quadro geopolítico, do ponto de vista cristão, a maior ameaça, de longe, é o islamismo.
Mas os EUA, mesmo com seu grande passado cristão, se acham impossibilitados de ver o quadro geopolítico a partir da perspectiva da proteção aos cristãos. Pelo contrário, suas intervenções estão, de uma forma ou de outra, criando caos e sofrimento para os cristãos no Oriente Médio.
É um resultado catastrófico previsível, quando a maior potência do mundo tem um presidente evangélico progressista que, de acordo com Jeremiah Wright (que foi o pastor progressista de Obama por 20 anos), era realmente muçulmano.
De acordo com o WND, o atual diretor da CIA se converteu ao islamismo na Arábia Saudita, a nação islâmica que proíbe igrejas cristãs e mata homossexuais, sem que os EUA, que estão impondo a agenda gay no mundo inteiro, deem um pio.
Quando uns dez terroristas islâmicos atacaram e derrubaram as Torres Gêmeas em Nova Iorque em 11 de setembro de 2001, a resposta dos EUA foi invadir o Iraque, dono de poços de petróleos. Mas os terroristas que atacaram Nova Iorque eram iraquianos? Não. Nenhum deles era do Iraque. Todos eles eram muçulmanos da Arábia Saudita, que é o maior aliado islâmico dos EUA, que usaram a desculpa do ataque terrorista para atacar o Iraque, que era aliado da Rússia.
A Arábia Saudita, que merecia uma invasão militar, foi poupada, sobrando para o Iraque o papel de bode-expiatório.
De acordo com William Murray, a Arábia Saudita é o maior financiador do terrorismo islâmico no mundo inteiro. Mas está impune, por ter como aliado a maior potência do mundo.
O preço dessa amizade profana para os EUA é terem um presidente pró-islamismo e um diretor muçulmano da CIA. É a suprema vergonha. E não pense que essa vergonha começou com o socialista Obama. Logo depois do atentado terrorista em Nova Iorque, o presidente George Bush, um evangélico conservador pró-vida que sempre teve meu apoio, declarou que o islamismo é uma “religião de paz.” Previsivelmente, depois de toda essa adulação à religião assassina de Maomé, as mesquitas tiveram um aumento explosivo nos EUA e agora o islamismo é a segunda maior religião em quase metade dos EUA.
Por que ficar perplexo? Se depois de um ataque nazista em território americano, o presidente dos EUA também tivesse declarado que “o nazismo é uma ideologia de paz,” qual a surpresa de observar um aumento da ideologia nazista nos EUA?
A humilhante prostração americana ao islamismo só se explica pelo fato de que a Arábia Saudita e muitas outras ditaduras islâmicas guardam suas reservas monetárias em bancos americanos. Um amigo meu, que trabalhou muitos anos num banco dos EUA, me disse que os investimentos de muçulmanos nos EUA são muito grandes.
Se as populações cristãs que estão sendo estupradas, torturadas e mortas no Oriente Médio também tivessem gordas contas bancárias nos EUA e na Europa, também seriam dignas de receber desses governos a mesma proteção, privilégios e impunidade que os líderes terroristas da Arábia Saudita recebem?
O preço para os cristãos tem sido muito alto nessa geopolítica do petróleo e interesses financeiros.
De acordo com o WND, até muçulmanos dos EUA estão indo para a Síria e Iraque para participarem da “festa” sangrenta contra os cristãos. A Inglaterra, que como os EUA, está por suas loucas políticas de multiculturalismo absorvendo centenas de milhares de imigrantes muçulmanos, está também vendo o fenômeno de muçulmanos britânicos irem à Síria para se juntarem aos rebeldes para derrubar Assad e, no meio tempo, estuprarem, torturarem e massacrarem cristãos.
A maior ameaça hoje, para os cristãos e para Israel, é o islamismo. Como fazer os EUA entenderem isso? Como fazer a Europa entender isso?
William Murray disse que o único jeito dos EUA e Rússia sobreviverem a essa ameaça é mudarem sua visão com relação a um trabalho mútuo. De acordo com ele, é preciso uma aliança dos grandes países cristãos.
EUA, Europa e Rússia têm passado cristão e precisam acordar para a maior ameaça destrutiva dos tempos modernos. Quem não entender essa ameaça será devorado por ela.
Os EUA e a Europa já começaram o processo de serem engolidos.
Há esperança para os EUA e a Europa?
Acima de tudo, quem ajudará os cristãos que estão sendo massacrados por islâmicos apoiados pelos EUA e Europa em seus loucos interesses geopolíticos pró-islâmicos e anticristãos?

sábado, 27 de setembro de 2014

O que os evangélicos pensam da política

Comentários sobre os sofismas mais comuns




Parece tudo igual, mas não é.

João Cruzué

1 - "Política não é coisa para crente".



Blog Olhar Cristão: Se os crentes não participarem da política nacional, tudo o que for feito de ruim, indiretamente, também serão responsáveis por omissão. A Bíblia fala na Carta de Paulo aos Romanos sobre a existência de dois tipos de autoridades: Autoridades políticas e Autoridades religiosas. Também diz que não há autoridade que não provenha da vontade ou da permissão de Deus. Por isso creio que se o princípio da autoridade vem de Deus, quem considerar a política como algo maligna, erra por não conhecer as escrituras. E comete um erro maior, pois ao recusar o direito de agir politicamente, deixa sua oportunidade para que o outro faça o que bem entender.

A Igreja, como corpo de Cristo, é composta de salvos. Sua função é ser o sal e a luz do mundo - em todas as organizações sociais lícitas. Talvez pela omissão de muitos crentes, que enxergam o diabo em tudo, o mal esteja mesmo se alastrando tanto, porque não encontra resistência.

2 - "Pastores não devem participar de política".

Blog Olhar Cristãoatualmente existem dois tipos de ministros: os que têm o cargo e exercem o ministério pastoral e aqueles que possuem apenas o cargo sem o ministério. Para os que exercem o ministério e pretendem concorrer a cargos públicos minha opinião é que não devem fazer isto, pois estariam abandonando o "arado". Entretanto, para os ministros que possuem apenas o cargo, sem chamada pastoral, não vejo incoerência . Todavia, qualquer crente, membro de Igreja ou ministro que aspire seguir a carreira política, deve ter uma orientação muito segura de Deus. Se forçar a barra e romper o muro, como diz a Bíblia, vai encontrar uma serpente do outro lado.

Explico: se Moisés não tivesse uma chamada real, CONFIRMADA por DEUS, em lugar de tirar o povo de Israel do Egito, teria contribuído, isto sim, para a destruição desse povo. Sem direção de Deus, em lugar de conquistar um cargo político, o membro ou ministro da Igreja com certeza vai entrar por sua própria conta e risco, não em "Canaã", mas no "Egito" para ser escravizado pelo "faraó" deste mundo. O preço desta aventura ainda não está totalmente informado: faltou dizer que neste caminho infeliz as outras vítimas são a família além e o nome da própria Igreja.

Brevemente veremos uma enxurrada de artigos na internet do tipo: "Não voto em Pastor" Quando eu era "menino" achava esta frase corretíssima. Depois de uma melhor análise, cheguei à conclusão de que esta afirmação é uma campanha preconceituosa, com impacto negativo entre os crentes e principalmente entre os eleitores não crentes. Se Deus chamar um ministro para a política, com ou sem o voto dos crentes, ele vai se eleger de qualquer jeito.

Enquanto isto, na Espanha, tempos atrás o ex-Papa Bento XVI dava seu aval para que sacerdotes católicos concorram a cargos políticos, para impedir o avanço do secularismo. Quem gostou disso vou o Bispo Lugo, que chegou a ser Presidente do Paraguai. Neste infeliz exemplo, cumpriu na vida dele a vontade de Deus. Com era dado a saltar a "cerca" não honrava a batina e teve muitos filhos. Como já tinha perdido mesmo o cajado, sua entrada na política contribuiu para que sua sem-vergonhice viesse a ser exposta à luz do meio-dia. Um buraco, chama um outro maior.

3 - "A carreira política é melhor que o ministério pastoral"


Blog Olhar Cristão: Sou completamente contra este pensamento. Qualquer um poderia exercer um cargo político, basta que gaste bastante. Já o ministério pastoral depende de uma chamada genuína e seu exercício é mais valioso que governar um país. A Mensagem do Evangelho é mais importante que qualquer discurso político. Ganhar uma alma e zelar dela, como ministro de Deus, vale mais que ganhar a presidência de um país. Embora isso pareça loucura, é assim que Deus vê. Portanto, entre o ministério pastoral e a política, fico com o primeiro, pois o ministério pastoral é dado pelo próprio Deus, para homens especiais.

4 - "Não voto em candidato evangélico, porque ele vai se corromper"
Blog Olhar Cristãoisso é puro preconceito. Em princípio, votar em um candidato que tenha o temor de Deus é decisão correta. Se no futuro ele trouxer decepção, na sua próxima candidatura não o eleja mais. Como de fato aconteceu em 2006, quando o povo evangélico deixou de eleger muitos políticos evangélicos que se corromperam no escândalo das "Sanguessugas". O recado foi dado. Não basta ter nome de evangélico para permanecer na política - é preciso ser evangélico de fato. O perigo de negar o voto a um candidato cristão para votar em qualquer um, ou naquele que asfaltou a rua da sua casa, reside na seguinte armadilha: quando uma lei não-cristã em votação, o político evangélico tem um compromisso com a Bíblia, já o "qualquer um" pode votar até contra a liberdade de culto - pois lhe deram um mandato (cheque em branco) para fazer o que quiser.

Vejamos um caso concreto: O ex-Prefeito de São Paulo - Gilberto Kassab - diante de um assunto que envolvia o uso da Avenida Paulista para sediar três manifestações: Dos evangélicos (Marcha para Jesus), de sindicalistas (Dia do Trabalho - CUT), e do movimento GLTBS (Parada Gay), Kassab fez sua opção sem titubear em favor de manter a Parada Gay na Avenida porque achava que ela dá um toque de modernidade e visibilidade mundial à Capital paulista. Em 2014 ele saiu candidato ao Senado, só que não vai ser eleito.

5 - "Não voto em candidato escolhido pela minha Igreja"
Blog Olhar Cristão: muitos crentes não se sentem confortáveis em votar nos candidatos "oficiais" da Igreja, geralmente pessoas escolhidas sem o referendo da membresia. Talvez seja esta falta de democracia que tenha impedido o sucesso de muitos candidatos. Por outro lado, há Igrejas que manipulam o eleitorado tentando fazer com membros um curral eleitoral com a prática do voto de cabresto. Recentemente, ouvi um pastor recomendando o voto em determinada pessoa da  parentela do Bispo da Igreja. E um dos argumentos que usou era que seria uma prova de gratidão ao Bispo, e que o candidato tinha conseguido colocar um irmão doente em um hospital. Ora, vejo isto de forma diferente: quem tem que usar de gratidão e fazer o que o povo precisa é o candidato.

Quanto a este assunto, ainda há duas coisas a considerar: O voto é secreto e inviolável. Diante da urna o eleitor cristão vota em oração, com consciência e intuição de acerto. Votar no melhor, isto é, naquele que no exercício do poder não vai aprovar leis ímpias contra a liberdade de expressão religiosa, como, por exemplo, a lei da mordaça gay. Nem aprovar legislação pró-aborto, nem naqueles que já sujaram o bom nome da Igreja por atos de corrupção. Votar corretamente é difícil, mas possível. Basta que na eleição seguinte, não se repita os mesmos erros.

Conclusão 

Blog Olhar Cristão: Ouvimos de um antigo Pastor, já falecido, que o pior erro é o erro doutrinário. Trazendo isso para este contexto ficaria assim: O pior erro é um erro de princípios. De tudo o que escrevemos aqui, cremos que o perigo maior reside em pensar que a política seja tarefa do diabo. Este tipo de comentário é muito fácil de espalhar. Parece uma verdade, mas não é. Conceitualmente trata-se de um sofisma, isto é, uma afirmação que apenas parece ser verdadeira. Se de fato o exercício da política fosse um atributo exclusivo do diabo, todos os que pensam assim estariam deixando nas mãos dele o destino de pessoas, favelas, bairros, cidades, estados, países - o mundo. Deus há de cobrar caro todo pecado de omissão, ou melhor, de burrice!

-------------------

"O que mais preocupa não é nem o grito dos violentos,
dos corruptos, dos desonestos, dos sem caráter, dos sem ética.
O que mais preocupa é o silêncio dos bons."
Martin Luther King

Obrigado Senhor pela bênção que foi a vida política de Martin Luther King,
pois que ensinou, de forma pacífica, a derrubar muitos "faraós"
que teimam em construir "egitos" para o povo.

"João Cruzué"
Fonte:   http://olharcristao.blogspot.com.br/2014/09/o-que-os-evangelicos-pensam-da-politica.html

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Marina Silva e a Providência Divina


Marina diz que não ter embarcado no voo fatal foi providência divina. Será que ela podia ter pisado em território tão pantanoso? Ela errou politicamente? Errou na teologia? A declaração incomodou muita gente.
Penso que existe uma providência divina em relação a mim, ao Miguel, a Renata e ao Molina”disse Marina a jornalistas, durante o voo que a levou de São Paulo para Recife para o funeral de Campos. Ela referia-se à mulher, ao filho e a um assessor do ex-governador de Pernambuco.
Jornal online O DIA, 17 de Agosto 2014
A primeira pergunta é, do ponto de vista politico será que Marina foi sábia em fazer esta declaração? A ideia certamente constrange a alguns, primeiro por revelar uma teologia não muito popular hoje nas redes sociais da “inteligentzia” cristã. Vou discutir a questão teológica abaixo. Mas as implicações políticas também seriam sérias de acordo com alguns cristãos com quem “conversei” no Twitter.
Marina, messias político
Teme-se que a providência percebida por ela nutra uma percepção messiânica sobre si mesma. Será? Em defesa de Marina eu queria apontar para sua carreira política. Ao contrário de Lula que de 1990 em diante se recusou a se candidatar para outra coisa que não fosse a presidência, Marina trabalha para seus ideais políticos de todas as maneiras que pode. Foi vereadora, deputada estadual, senadora, ministra do PT, saindo do partido com dor e sofrimento expressados publicamente. Se não tivessem lhe puxado o tapete, é provável que não teria saído nem do ministério nem dos quadros do PT. Marina aceitou ser vice de Campos. A candidatura a vice-presidência em si já demonstra uma capacidade de concessão e humildade que não se percebe naqueles que sofrem de complexos messiânicos.
Direito a uma linguagem religiosa?
Mas diz o Reinaldo Azevedo que os seguidores de Marina a identificam como a “ungida” e imbuem sua figura de aspectos messiânicos. Não duvido nada que um setor religioso qualquer tenha feito isto, ou crie uma narrativa assim para a história dela. Mas até onde escuto ela pessoalmente não o faz. É fácil evitar esta tendência mitologizadora no Brasil de hoje? Não. É literalmente impossível impedir que outros construam com sua história uma narrativa que não é nem sua. É fácil evitar a armadilha de se deixar envolver por este messianismo? Não é tampouco. E até aí minhas concedo loas à Marina que tem valentemente evitado o discurso religioso, evitado se voluntariar ao evangelicalismo como sendo a candidata religiosamente correta. Ela é corajosa em criar um caminho político diferente, que não se escora na religião, é  coerente com suas convicções mas não é religiosamente neutro.
Mas ainda podemos nos perguntar: Porque então usar linguagem religiosa? Porque mencionar providência divina?
Respondo com outra pergunta: Por que não? Qual é o problema em se declarar fé, em se expor suas convicções teológicas, em citar sua cosmovisão religiosa como apoio emocional numa hora tão difícil? A meu ver nenhum problema. A democracia no Brasil é tão nova, mas já estamos profundamente doentes de laicismo.
Quero propor que este laicismo xiita é  irreal e não presta serviço à democracia. Professar uma falta absoluta de convicções religiosas já é uma convicção religiosa. Permitir que o laicismo domine o discurso político brasileiro a ponto de excluir completamente a religião do debate público,  é permitir que a religião do secularismo se imponha como a única alternativa, a única cosmovisão possível politicamente, o que é um erro absurdo. O secularismo em si ele não nos provê noção de valor humano, razões morais que possam nortear legislações, coerência filosófica para se estabelecer esperança para um futuro melhor. O secularismo é vazio e descomprometido com o florescimento humano.
Liberdade religiosa não é a laicização total do estado, mas sim segundo Locke, o estabelecimento de uma tolerância mútua norteada por princípios morais comuns. Aí a conversa se torna muito longa, porque é necessário se diferenciar a tolerância proposta por Locke e vivida na América e na Europa até algumas décadas atrás e esta “tolerância liberal” proposta por Marcuse e outros que hoje paira como um urubu sobre a nossa racionalidade.
Meu ponto: Ela tem direito sim à usar uma linguagem religiosa. Afinal ela é uma mulher de fé, não podia ser diferente. Se a constituição nos garante liberdade religiosa, garante a qualquer candidato o direito a professar uma religião.  Mas ser uma pessoa de fé é diferente de fazer da fé uma política de estado. O que um crente presidente não pode fazer por exemplo é uma medida provisória tornando o evangelicalismo a religião oficial do Brasil. J Mas ele tem direito a usar suas convicções para nortear suas decisões políticas? Claro que sim. A fé verdadeira não é um mero acessório que se despe quando se toma decisões políticas. A fé ou a falta dela norteia nossa maneira de viver, nos informa do bem e do mal, é uma bússola interna que não sai sem cirurgia.
Um ambiente civilizado respeita a Dilma cuja falta total de convicção religiosa lhe permite circular pelo Templo de Salomão e pelo Terreiro da Dona Maricota no mesmo dia, rezando conforme a cartilha de cada um. E respeita a Marina, quando diz que ora todos os dias, tem a Bíblia como livro de cabeceira, e que toma suas decisões políticas ou não de acordo com a moral cristã.
A teologia da providência
Agora o assunto é teológico. Estranhei que alguns colegas teólogos se doeram com a declaração de Marina. Afinal a providência é um conceito bíblico aceito por todas as corrente teológicas. Deus ama e protege os que nele creem. Disse alguém, que só encontra providência na minha Bíblia. Como? Se ele arrancou o Deus que intervém da sua Bíblia, eu não arranquei da minha.  Não vou perder tempo aqui citando todas as histórias bíblicas e todos os versículos de ensino direto que nos ensinam um Deus em controle da história. Até os teólogos relacionais, ramo ao qual fui “acusada” muitas vezes de pertencer e que é visto por muitos líderes evangélicos como um heresia, acreditam numa providência histórica de Deus. Não tem um teólogo que advoga a ideia do “futuro aberto” que não acredite também em Deus dirigindo a história, a diferença é que creem que ele  não controla destinos individuais.
Creia você que Deus vê o futuro ou não, se professa a fé cristã, tem que necessariamente crer que ele usa a história para te abençoar. O homem faz os planos, mas a resposta, no original, os passos, vem do Senhor (Pv16:1)
Se você crê  que Deus controla absolutamente cada detalhe, do que acontece nesta terra. no caso de Marina, controlou as circunstâncias para que ela e os outros não estivessem no avião.
Outra alternativa é crer que Deus respeita  o livre-arbítrio e que nossas escolhas influem  nas circunstâncias e nas histórias individuais. Neste caso Deus diretamente não causa nada, mas influencia, instrui, deixando a decisão final na mão das pessoas. Ele trabalha através de nossas escolhas. E ainda como Deus pessoal tem planos pessoais para nós. E mesmo que nossos erros, pecados, incapacidades pareçam atrapalhar seus planos, ele ainda é capaz de usar o mal para o bem. Veja a história de José, vendido como escravo, de Moisés, assassino.  Veja Romanos 8, que nos propõe que ele, Deus, lida com os resultados. Ele é capaz de usar os problemas e dores em fatores transformadores que acabam te abençoando e trabalhando para os planos que ele tem para você.
O extremo desta linha é pensar que o futuro é completamente determinado por nós e apenas por nós. Se isto é verdade que peso enorme temos constantemente sobre os ombros!! Viramos então o Deus da história. O que não difere em nada da terceira alternativa que exclui Deus completamente da história. Seja  Deus paralisado ou morto o resultado é o mesmo.  Ele não tem nada a ver com o que aconteceu nem com a salvação da Marina nem com a morte de Campos. Se esta é a sua abordagem eu tenho que te dizer que você então não é cristão bíblico, mas sim um mero teísta.
Se você crê no Deus morto, ilhado, isento de participação qualquer que seja, me explique em que esta crença diferença do ateísmo. Respeito sua opinião, mas tenho pena de você, como tenho dos ateus,  por viver nesta imensa solidão cósmica.
Minha conclusão?
Marina tem o direito teológico e político de crer em providência. Que venha o futuro de acordo com o planos de Deus para nossa história brasileira, e as decisões que nós eleitores ou candidatos vamos tomando para realiza-la.

Artigo de Bráulia Ribeiro na Ultimato on Line - Ví noCristianismo Radical

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Brasil se volta contra contra Israel

Brasil se volta contra contra Israel, Dilma perdeu uma grande oportunidade de permanecer calada, somos um país de paz, nosso histórico demonstra isso,  mas a Presidenta defecou pela boca ao censurar apenas Israel, e não censurar o extremismo do Hamas.

Dilma não sabe, mas essa é mais uma prova da veracidade da Palavra de Deus, segundo a profecia do Profeta Zacarias confira o Capítulo 14 deste livro, essa profecia terá cumprimento em sua totalidade na Grande Tribulação.

Uma sugestão para a Presidenta da próxima vez fale por você e não em nome do Brasil!


Confira abaixo o texto do profeta Zacarias:

ZACARIAS - CAPÍTULO 14
1 EIS que vem o dia do SENHOR, em que teus despojos se repartirão no meio de ti.
2 Porque eu ajuntarei todas as nações para a peleja contra Jerusalém; e a cidade será tomada, e as casas serão saqueadas, e as mulheres forçadas; e metade da cidade sairá para o cativeiro, mas o restante do povo não será extirpado da cidade.
3 E o SENHOR sairá, e pelejará contra estas nações, como pelejou, sim, no dia da batalha.
4 E naquele dia estarão os seus pés sobre o monte das Oliveiras, que está defronte de Jerusalém para o oriente; e o monte das Oliveiras será fendido pelo meio, para o oriente e para o ocidente, e haverá um vale muito grande; e metade do monte se apartará para o norte, e a outra metade dele para o sul.
5 E fugireis pelo vale dos meus montes, pois o vale dos montes chegará até Azel; e fugireis assim como fugistes de diante do terremoto nos dias de Uzias, rei de Judá. Então virá o SENHOR meu Deus, e todos os santos contigo.
6 E acontecerá naquele dia, que não haverá preciosa luz, nem espessa escuridão.
7 Mas será um dia conhecido do SENHOR; nem dia nem noite será; mas acontecerá que ao cair da tarde haverá luz.
8 Naquele dia também acontecerá que sairão de Jerusalém águas vivas, metade delas para o mar oriental, e metade delas para o mar ocidental; no verão e no inverno sucederá isto.
9 E o SENHOR será rei sobre toda a terra; naquele dia um será o SENHOR, e um será o seu nome.
10 Toda a terra em redor se tornará em planície, desde Geba até Rimom, ao sul de Jerusalém, e ela será exaltada, e habitada no seu lugar, desde a porta de Benjamim até ao lugar da primeira porta, até à porta da esquina, e desde a torre de Hananeel até aos lagares do rei.
11 E habitarão nela, e não haverá mais destruição, porque Jerusalém habitará segura.
12 E esta será a praga com que o SENHOR ferirá a todos os povos que guerrearam contra Jerusalém: a sua carne apodrecerá, estando eles em pé, e lhes apodrecerão os olhos nas suas órbitas, e a língua lhes apodrecerá na sua boca.
13 Naquele dia também acontecerá que haverá da parte do SENHOR uma grande perturbação entre eles; porque cada um pegará na mão do seu próximo, e cada um levantará a mão contra o seu próximo.
14 E também Judá pelejará em Jerusalém, e as riquezas de todos os gentios serão ajuntadas ao redor, ouro e prata e roupas em grande abundância.
15 Assim será também a praga dos cavalos, dos mulos, dos camelos e dos jumentos e de todos os animais que estiverem naqueles arraiais, como foi esta praga.
16 E acontecerá que, todos os que restarem de todas as nações que vieram contra Jerusalém, subirão de ano em ano para adorar o Rei, o SENHOR dos Exércitos, e para celebrarem a festa dos tabernáculos.
17 E acontecerá que, se alguma das famílias da terra não subir a Jerusalém, para adorar o Rei, o SENHOR dos Exércitos, não virá sobre ela a chuva.
18 E, se a família dos egípcios não subir, nem vier, não virá sobre ela a chuva; virá sobre eles a praga com que o SENHOR ferirá os gentios que não subirem a celebrar a festa dos tabernáculos.
19 Este será o castigo do pecado dos egípcios e o castigo do pecado de todas as nações que não subirem a celebrar a festa dos tabernáculos.
20 Naquele dia será gravado sobre as campainhas dos cavalos: SANTIDADE AO SENHOR; e as panelas na casa do SENHOR serão como as bacias diante do altar.
21 E todas as panelas em Jerusalém e Judá serão consagradas ao SENHOR dos Exércitos, e todos os que sacrificarem virão, e delas tomarão, e nelas cozerão. E, naquele dia não haverá mais cananeu na casa do SENHOR dos Exércitos.

quarta-feira, 9 de julho de 2014

A Terra do Bolsa Família e a copa do mundo padrão fifa

E A CONTA DA REALIDADE CHEGOU!




JOÃO CRUZUÉ

O Brasil é um país de terceiro mundo com péssimos indicadores econômicos e sociais. E, sem muito lero-lero, isto se deve a qualidade de gestão pública. Eu vejo todo dia, como é dura a vida da periferia de uma Grande Cidade, onde todo tipo de problema se concentra, avoluma e não é resolvido. Então, uns "espertos" ignorantes decidem trazer um evento de grandeza mundial para mostrar para o mundo, através de imagens minuciosamente editadas, as belezas e o progresso da nação brasileira.  A mesma receita do marketing político usado para vender ao povo uma imagem do que não é, como se a realidade fosse. Um Brasil de faz de contas. Como cristão não posso olhar para tanto dinheiro jogado fora com esta copa (padrão fifa) e deixar de dizer umas boas VERDADES!

Pobreza mascarada. 

Em março de 2007,  quando o Presidente George W. Bush esteve no Brasil, em visita à Cidade de São Paulo, hospedou-se no Hilton Hotel da região da Berrini. Como havia uma favela no meio da rua a caminho do Hotel, que não podia ser editada no Photoshop, derrubaram os Barracos. O Presidente americano passou, sorridente, porque aquele sinal de pobreza tinha sido retirado a forceps.  

Marketagem politica.

As imagens de um evento esportivo "padrão fifa" muito se assemelham ao romance de Stephen King levado para o Cinema em 1987, pelo diretor Paul Michael Glaser, sob o nome Running Man. O filme que foi massacrado pela crítica, tem uma sinopse muito interessante. Ele passa no futuro. Em 2017, o mundo se encontra escravo do entretenimento e de programas de TV onde pessoas apostam suas vidas em busca de dinheiro fácil e glória. No meio de tudo isso, Ben Richards, um ex-policial injustamente mandado para a prisão, é selecionado para estrelar um quadro do mais famoso programa de TV da atualidade, “O Sobrevivente”. Nele, Ben será lançado numa cidade cenográfica onde deverá enfrentar um grupo de caçadores. Se vencer o jogo, Ben não só ganha sua liberdade, como também sua própria vida.

No filme, a verdade era mascarada e a versão dos fatos, apresentada no programa de TV era aceita como realidade.

A realidade brasileira. De uma dezena de problemas  vou separar alguns:

Uma imensidão de Faculdades com um ensino de faz de contas, tomando o dinheiro da classe média baixa,  dando em troca um diploma cuja serventia real seria apenas para pendurar em um quadro na parede da sala.

Uma presidente de faz de contas. Um ensino de faz de contas. Uma economia de faz de contas. Um governo de faz de contas. Um sistema de transporte público de faz de contas. Uma Petrobrás de faz de contas. Escolas de faz de Contas e até muitas Igrejas Evangélicas de faz de contas. 

Três coisas, no entanto, não são de faz de contas: O rombo das contas públicas, o mau gasto do dinheiro público e impostos que nunca são suficientes.  A vampiragem da Receita Federal que mais parece aquela música: "Matilda, que só quer dinheiro e sempre me pede mais!"

Falta saneamento. Falta combustível decente. Falta água no Nordeste. Falta água no Sudeste. Falta água em São Paulo. Falta energia para a Indústria, mas sobra burrice e malandragem nos principais gestores públicos.  Ah! você não concorda? Pois, bem, dê-me explicação para o gasto de 2 bilhões de reais na construção do Estádio Mané Garrincha em Brasília? O mais perfeito exemplo da gatunagem do dinheiro público. É sobre a égide desta safadeza que teremos o campeonato mundial organizado pela fifa, associação mundial vinculada a frequentes escândalos financeiros.

Não sou torcedor de nenhuma time em particular desde que abracei a fé em Jesus Cristo. Todavia, nos jogos do Brasil na Copa sempre agi como torcedor brasileiro. Todavia, em 2014, meu lado racional me diz que se o Brasil ganhar, todo este dinheiro desperdiçado (mais de 50 bilhões de reais) vai desavergonhadamente ser justificado pela adição de mais uma estrela na camisa da seleção. Mas se o Brasil não levar o caneco, esta farra com o dinheiro público (que não vai até a periferia) vai ser cobrada centavo por centavo.

Em tempo de tanta pobreza e necessidades urgentes, o dinheiro que está sendo desperdiçado com este campeonato mundial de futebol "padrão fifa" é um soco no estômago do brasileiro pobre. 

O Brasil não precisa de um caneco de futebol ao custo de 50 (ou mais) bilhões de reais. O senhor Lula, o responsável por esta megalomania não pode continuar jogando o dinheiro do brasileiro em um buraco sem fundo. Se ele fosse de fato um trabalhador, como se apresenta na mídia, saberia que o dinheiro do pobre deve ser economizado e não desperdiçado com coisas INÚTEIS.

A bolsa fifa custou por baixo 50 bilhões de dólares. A merreca da merreca para o pobre, é a bolsa-família.  Bilhões para meia duzia de empreiteiras, bancos e fornecedores é a bolsa-padrão fifa. E sobre bolsa família, qualquer estudante de curso médio sabe que a SOMA dos impostos pagos pelo pobre sobre o arroz, o feijão, a condução, o sapato, o caderno de escola, é bem menor que o valor do bolsa família que um pobre recebe. A tributação em nosso país é uma coisa tão injusta, que até no pão que o mendigo compra na padaria da cidade, o governo gatuna pelo menso uns 30% de impostos.
É tempo de ser crítico e condenar a má administração e gestão públicas. Deus não concorda com governos injustos que tomam do pobre para encher o ventre de bilionários. E eu como filho Dele, também não concordo e assino embaixo de Sua vontade.

O Brasil precisa de uma nova geração de agentes políticos e gestores públicos. E Deus está neste negócio.

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Missionário sul-coreano é condenado a pena perpétua de trabalhos forçados por evangelizar na Coréia do Norte

Por Dan Martins em 4 de junho de 2014 

Missionário sul-coreano é condenado a pena perpétua de trabalhos forçados por evangelizar na Coréia do Norte
Um missionário sul-coreano foi condenado à prisão perpétua em uma prisão norte-coreana  para tentar organizar igrejas subterrâneas no país. Kim Jung-wook foi condenado após confessar ter cometido “atos religiosos contra a Coreia do Norte” durante o seu julgamento na última sexta-feira. Ele agora irá servir uma sentença de prisão perpétua de trabalhos forçados na prisão.
De acordo com o Christian Headlines, Kim Jung-wook foi acusado também de transportar equipamento de vigilância, em um suposto esforço para espionar a família Kim, família do chefe do único partido político da nação.
A Coreia do Sul negou qualquer associação com Kim, que pediu desculpas por seu trabalho missionário no julgamento e implorou por uma alternativa à pena de morte.

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Lembra-te do Criador nos dias da tua mocidade

Tempos atrás eu pude sentir quão fracos e impotentes somos. Minha cunhada enfrentou duas cirurgias e em três semanas, apesar de tudo, ela partiu e deixou muita dor. A morte é um inimigo real que ronda a nós todos. Fingimos que não acontecerá conosco, mas precisamos contar com essa possibilidade.



Eu sempre detestei visitar pessoas em hospitais, até o dia que fui trabalhar em um. Ali, você pode ver de tudo. A realidade que não aparece nas ruas: os infortúnios, doenças graves, acidentes, feridos de todo tipo - estão nos hospitais.


Como crente no poder da oração, já pude dar graças a Deus por parente curado de câncer, voltando vivo para casa. Por outro lado, também já orei e jejuei por muitos dias e o resultado foi nulo. Eu posso aceitar a decisão do Senhor em deixar uns e levar outros, mas nunca vou compreender bem as decisões Dele.

Antes de minha cunhada - Dalva Elisa - a irmã Dalva, falecer eu tive oportunidade de visitá-la no Hospital. Eu pedi licença por um dia de trabalho e fui fazer a visita com minha esposa e filha. Na ocasião, ao entrar na enfermaria, minha cunhada estava com tubos e eletrodos por todo lado. Inconsciente. Uma operação de coração. Depois outra operação na cabeça, hemorragia. Eu tinha acabado de orar à cabeceira, e já me encontrava de saída, quando outros pacientes me chamaram, porque ela tinha levantado a mão, mesmo em coma. Eu voltei e segurei com carinho aquela mão, muito quente, ardendo em febre. Foi a última imagem que tive dela viva.

Muitos oraram, muitos pediram para ir até o hospital e orar. Outros esperavam por um milagre que não veio. Diante da aparência da morte, somos como nada. Impotentes. Dependentes do Senhor. Algumas ocasiões você ora e Deus responde. Todavia há situações que nem orações nem jejum resolvem. É preciso ter uma confiança bem grande em Cristo para aceitar isso.

Quando o sábio de Eclesiastes escreveu o versículo: "Lembra-te do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venha os maus dias, e cheguem os anos nos quais venhas a dizer: Não tenho neles contentamento.." ele tinha um propósito com aquelas palavras. E este propósito é: nascer em Cristo, crescer em Cristo, viver em Cristo para quando seus últimos dias de vida chegarem, você também possa dizer: Eu sei em quem eu tenho crido!

Não se lembra do Criador apenas com palavras, mas, sobretudo, com ações. Hoje é o Dia Internacional do Trabalho. Lembra do Criador e de sua ordenança: Ide por todo mundo e pregai o Evangelho a toda Criatura. E ainda, guarde bem esta afirmação sublime: "Lança o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás!" Não desperdice a sua juventude com apenas futilidades e uma vida sem propósitos. Em tempos de vasta corrupção, faça um concerto com Deus e consagre sua vida ainda jovem ao Senhor. Não espere pela velhice quando já não terá mais vigor para servir ao Senhor Jesus Cristo.

Para onde todos nós vamos o que vai ficar para trás são nossas memórias. Muitos já deixaram na história uma vida de futilidades, drogas, ociosidade e hipocrisia. Outros deixaram uma vida de compromisso com Deus, como Paulo, Lutero, Wesley, Judson, Carey, Moody, Nee, Edwards, Berg, Vingren. Jesus Cristo ainda é o mesmo. O Espírito Santo ainda é o mesmo. Não desperdice sua juventude e força à toa. Não escreva seu nome na areia, deixe o Espírito de Deus se apoderar de você para escrever seu nome na Rocha.

É tempo de trabalhar, e há trabalho esperando por você na casa do Senhor

Fonte: http://olharcristao.blogspot.com.br