terça-feira, 25 de outubro de 2016

Solidão, crítica e rejeição: os custos da liderança

Como O Pastor Pode Responder À Solidão, Às Críticas E À Rejeição E Ainda Manter Boas Relações Humanas Com Os Membros?
“... podeis vós beber o cálice que eu bebo...? (Mc 10.38)
Oswald Sanders lista em seu livro (Liderança Espiritual, Editora Mundo Cristão) dois princípios elementares sobre liderança cristã baseados em Marcos 10.32-40, no episódio em que Tiago e João pedem a Cristo para ocuparem uma posição de destaque em seu Reino (v.37).
Ele identifica, em primeiro lugar, o princípio da “soberania na liderança espiritual”. Conceder a alguém cargo de liderança é algo que já está preestabelecido por Deus, apenas confirma-se o candidato que o Senhor já reservou para esse fim; É notório que ninguém galga tal posição por méritos próprios, por influência intercessora de alguém ou de um colegiado, mas é preciso uma extensão humana e terrena do Reino para que administre as questões da Igreja, como por exemplo: uma assembleia, convenção ou concílio. O livro de Atos registra três assembleias: 1)Para escolher um apóstolo substituto de Judas (1.15-26); 2)Para instituir os diáconos ao serviço social (6.1-6) e 3)A assembleia geral do capítulo 15, realizada para resolver questões a respeito dos ritos mosaicos, se seriam aplicados, aos gentios que aceitaram a fé, comissionando obreiros para noticiar a decisão convencional.
Os pastores são levantados soberanamente para exercerem seus cargos de liderança reservados a eles pelo próprio Senhor, foi Jesus que apresentou esse princípio ao dizer: “mas o assentar-se à minha direita ou à minha esquerda não me pertence a mim concedê-lo, mas isso é para aqueles a quem está reservado.” (Mc 10.40). A convenção local reconhece o ministro que Deus preestabeleceu, função que nossa pastoral – CONADEC – desempenha muito bem.
Por esse motivo estejamos conscientes de que a instituição eclesiástica é divina com funções espirituais e execuções humanas, eis a razão pela qual não devemos nos opor ou questioná-la. Além do reconhecimento de uma instituição, é preciso, também que alguém os apresente. Como por exemplo: Barnabé que apresenta Paulo aos Apóstolos, “Barnabé, tomando-o [Paulo] consigo, o trouxe aos apóstolos…” (At 9.27); o próprio Paulo, que depois de alguns anos, ingressa Marcos no ministério, “… Toma Marcos e traze-o contigo, porque me é muito útil para o ministério.” (2 Tm 4.11); e os discípulos que escolheram os diáconos “ e os apresentaram ante os apóstolos…” (At. 6.2,3,6).
O segundo princípio reconhecido por Sanders na fala de Jesus foi o “preço da liderança”. O Senhor deixa claro que há um custo alto a pagar para quem quer assumir uma posição de liderança:“… Não sabeis o que pedis; podeis vós beber o cálice que eu bebo e ser batizados com o batismo com que eu sou batizado?” (Mc 10.38), a pergunta evidencia haver custos para exercer uma liderança eficaz. Sanders destaca que a solidão, a crítica e a rejeição são alguns fatores que, dentre outros, definem o preço da liderança. Mas, como o pastor deve responder as críticas, rejeição e solidão e ainda manter boas relações humanas com seus membros (FAETAD, 2006)?
Solidão
Tomar decisões nunca foi fácil; Em ambiente coletivo, às vezes, gera conflitos de opiniões e consequentemente problemas relacionais. George Barna, um dos mais proeminentes pesquisadores de liderança cristã americana e presidente da maior organização norte-americana de consultoria de administração de ministérios, revela os tipos mais comuns de conflitos: “colisão de personalidade, lutas de poder, insegurança, falta de reconhecimento: São os conflitos relacionados com assuntos pessoais” (George Barna, 2004).
Quando o Pastor decide tomar alguma decisão necessária para o crescimento da igreja, algumas vezes, infelizmente fica solitário e é incompreendido como, por exemplo, quando decidir mudar a liderança de um departamento poderá afetar algumas pessoas e causar certo desconforto. Dado a situação ele pode ficar solitário e incompreendido, este é o preço da gerência – a solidão. A igreja precisa de obreiros que sejam servos e o pastor, naturalmente, precisa de amigos fiéis; Longe de sua terra natal, a solidão se torna um custo angustiante para quem aceitou, como Abraão, segregar-se das agremiações de sua “terra”, da fraternidade de sua “parentela” e do afeto da casa do “pai” (Gn 12.1); Para ser incompreendido, rejeitado e solitário em terra estranha.
Não obstante, é impossível dar respostas à solidão causada por membros que, insatisfeitos, se distanciam do pastor. Ele deve, no entanto, construir mecanismos que a evite, tais como: 1) Procurar viver em paz com seus membros; 2) Entender suas singularidades, pois as pessoas não serão como você quer que elas sejam; serão elas mesmas, apenas temos que aceitá-las; Por isso não seja rancoroso ou temperamental, saiba que a maioria dos conflitos são gerados pela deficiência das boas relações, portanto uma das partes tem que ceder; e 3) conquiste novos amigos, aumentando seu círculo de amizade.
Crítica (destrutiva)
É um custo à liderança porque destrói a motivação para delegarmos. Sanders diz que a crítica é o elemento mais “destrutivo” da liderança, compromete a autoestima, o raciocínio e afeta a alma gerando um sentimento de rejeição no Pastor, causando fragilidade comunicativa aos liderados. SCOTT HAGAN (Pastor-Presidente da Mars Hill Community Church, das Assembleias de Deus de Sacramento, Califórnia-EUA) teoriza que as críticas geralmente provêm das bordas (Nm 11.1) da comunidade e da mistura de gente (Nm 11.4) não comprometidas com a liderança e o Reino: “… o povo começou a queixar-se das suas dificuldades… a sua ira acendeu-se e fogo da parte do SENHOR queimou entre eles e consumiu algumas extremidades do acampamento” (Nm 11.1 – NVI).
Esteja consciente de que quanto mais longe estiver do rebanho, mais surgirá murmuração e se você voltar toda sua atenção para “o meio” as bordas ficarão deficientes; nesse caso a liderança fica comprometida abrindo caminhos para revelias. Quando Moisés ficou distante do povo muito tempo, embora fosse necessário naquele momento, o resultado foi nefasto (Êxodo 32). Portanto, convém que os pastores tenham cuidado quando precisar passar algum tempo longe do rebanho, o tempo de ausência do líder determinará o quanto aparecerá críticas e a rapidez como elas se propagarão contra sua administração.
A melhor maneira de responder às críticas é o silêncio, Não revidar com palavras ofensivas ou do mesmo calão; ao contrário, o líder deve agradecer por tais críticas e fazer delas combustível para o aperfeiçoamento. Assim, os críticos verão o posicionamento humilde do Pastor, conquistando suas emoções, facilitando-lhes a aproximação e estabelecendo relacionamentos de confiança entre ambos. Socializar-se é uma forma de evitar as críticas, conviver com os que estão insatisfeitos, ouvi-los e saber tomar atitudes para não comprometer sua liderança e a comunidade local ajudará a evitar as críticas destrutivas.
Não rebata crítica com crítica, mas “elogie sempre antes de criticar ou apontar um erro. Primeiro conquiste o território da emoção depois o da razão.” (Augusto Cury, 2008). Tomando como exemplo Ulisses Guimarães que nas questões políticas que precisariam do voto da maioria, o parlamentar não buscava conquistá-lo nas tribunas do Congresso Nacional, mas nas mesas de restaurantes; depois que seus críticos estavam com os ânimos calmos degustando um almoço promovido por ele. Promova um “almoço” para seus críticos e os tornará em aliados.
Rejeição
Uma mensagem não aceita, uma ordem não executada e semblantes insatisfeitos são aguilhões poderosos que ferem, profundamente, àqueles que exercem o cargo da liderança. A rejeição é muito mais sentida e causa ainda mais ressentimentos quando se manifesta ao Pastor – A quem se espera obediência, em vez de rejeição. Não devemos esquecer o fato de que a aceitação, submissão e obediência são atitudes intrínsecas do membro em relação ao seu pastor: “Obedecei a vossos pastores e sujeitai-vos a eles…” (Hb 13.17-ARC 2009).
As fontes da rejeição podem emanar das mais diversas características pessoais do líder: Intelectual(quando o pastor é um profundo intelectual: Ex 2.14; ou quando não tem uma formação aquém de seu público: Mc 6.3); Etária (quando é muito novo: Gn 37.8; ou está na terceira idade: 1Sm 8.5); Estrutural (de pequena estatura e semblante agradável: 1Sm 17.28) e etc.
A rejeição é evitada e/ou respondida pela Influência, que é aplicada pela própria atividade do líder: aliderança. Nesse nível a influência funciona como prevenção à rejeição; dessa forma, a capacidade do líder de influenciar direcionará a atitude do liderado em rejeitar ou aceitar suas posições, liderança e sua própria personalidade. Porque “liderança é a habilidade de mover e influenciar pessoas”(Sanders, 1985) fazendo com que elas mudem o pensamento tendencioso à rejeição para aceitação.
Este nível eu teorizo como: o Nível Técnico da Influência, é o nível que depende exclusivamente da capacidade técnica da Arte da Liderança desenvolvida pelo líder; O pastor que contagia, surpreende e influencia conquistará a confiança do membro e fará dele um discípulo fiel.
O outro nível é a oração e defino como: o nível espiritual da influência; Ela é usada quando a rejeição estiver em plena ação, quando a capacidade de influenciar já não for o suficiente para mover o coração obstinado do homem rebelde. Experimente orar por um obreiro ou um grupo que está sendo insubordinado, lhe rejeitando o tempo todo; A oração, permanente e exclusivamente para esse propósito, irá movê-los e a rejeição será dissipada.
Sanders cita Hudson Taylor, que garante ser “possível mover os homens, através de Deus, apenas pela oração”. A obstinação humana torna-se mais difícil de combater porque a arbitrariedade rege as decisões volitivas do homem, Senão seria fácil liderar. No entanto, a oração é o recurso espiritual para o líder responder a rejeição e manter boas relações humanas com os seus membros, Sanders esclarece que “o alvo da oração é o ouvido de Deus. A oração influencia os homens, porque influencia Deus, para que Ele influencie os homens. Não é a oração que move os homens, mas Deus, a quem nós oramos.”
Fonte: Gospel Prime


Por Pr. Cícero Araújo
Bacharel em Teologia pela FAETAD/GLOBAL UNIVERSITY Licenciado em Biologia pela Universidade Estadual Vale do Acaraú-CE Pós-graduando em Liderança e ADM. Eclesiástica. Pastor na Assembleia de Deus em Barroquinha-CE.

terça-feira, 19 de julho de 2016

Tabela curiosidades, dados biblicos.

Amigo (a)s;
Leigos, estudantes sejam de cursos, seminários, amantes das escrituras sagradas em geral, com o intuito de ajudar vocês resolvi deixar a disposição esta tabela  com dados de informações sobre numero de livros, capítulos, versículos da Bíblia Sagrada.
Esta pesquisa foi realizada na Bíblia Sagrada (ARC), Almeida Revista e Corrigida. alguma exceção será exibida detalhadamente.
É livre a reprodução desta tabela mas se você quiser seria legal se colocar os créditos ao blog:

AT
NT
Bíblia inteira
Número de Livros
39
27
66
Número de Capítulos
929
260
1.189
Livro Maior
Salmos (150 Salmos)
Mateus e Atos (28 capítulos)
Salmos
Livro Central
Provérbios
2ª Tessalonicenses
Miqueias e Naum
Livro Menor
Obadias
2ª João
2ª João
Maior Capítulo
Salmo 119 (176 versículos)
João 6 (71 versículos)
Salmo 119
Capítulo Central
Jó 29
Romanos 13 e 14
Salmo 118
Menor Capítulo
Salmo 117
2ª João
2ª João
Maior Versículo
Ester 8:9
Apocalipse 20:4 (62 palavras)
Ester 8:9
Versículo Central
2ª Crônicas 20:8
Atos 17:17
Salmo 118: 8
Menor Versículo
Ester 8:9
Lucas 20.30
Ex 20.13 e Dt 5;17(ARC)
Jó 3.2 (ARA)

OBS: Em termos do maior número de capítulos no Novo Testamento, o Evangelho de Mateus e Atos estão rigorosamente empatados. Mas em se tratando do livro com a maior extensão, o Evangelho de Lucas é maior que o de Mateus.
Fonte: canalbiblico.blogspot.com



sábado, 5 de dezembro de 2015

A Operação Lava jato e a lama da barragem de Mariana


-Companheira Dilma, o povo gosta de ouvir promessas.
Então fala que não vai ter aumento da gasolina no Natal...
Por João Cruzué
.
No mês de maio/2015, andei escrevendo alguma coisa sobre a origem da Operação Lava Jato . Recentemente, ficamos chocados com o poder destruidor da lama  que estourou a barragem do Fundão, de responsabilidade da Samarco Mineradora. É curiosa a analogia da lama desta duas origens.

A Operação Lava Jato estourou em março de 2014. A lama que vem escorrendo de Brasília, quando a gente pensa que está acabando, aumenta, e vai arrasando com a economia do país e a credibilidade de seus políticos.

Ninguém tinha conhecimento de que uma represa de lama, 15 km a montante do Distrito de Bento Rodrigues, Município de Mariana-MG, seria capaz de arrasar com a vida existente no Rio Doce. E muito menos esperaria que aquela lama chegasse com poder destrutivo ao Oceano Atlântico a quase 900 km de distância da origem. Uma vez no mar, ela avançou mais de 50 km, afetando também a vida marinha da região, incluindo um santuário de tartarugas.

Tomei conhecimento dos esforços do ex-presidente Lula para não deixar ir por água abaixo o governo Dilma. E olhe que em matéria de jogo político ele nada de braçada. Pois bem, depois de ter negociado com tudo o que se possa imaginar, estourou outro mar de lama lá pelos lados de Mato Grosso do Sul, terra que elegeu o Senador Delcídio do Amaral. Ali a lama ficou devidamente exposta, e as entranhas do partido do poder (PT) revelada a plena luz do meio dia. 

Diante de tudo isto, eu vejo que Deus tem um compromisso de responder orações do povo santo. Quando Abrão levantou de madrugada e olhou para Sodoma, ele pediu a Deus por livramento se tivesse 50 justos naquele lugar, pensando em seu sobrinho. Sinceramente eu creio que há mais de 50 justos neste país, orando para que Deus faça uma limpeza neste paiol de ratos.

E posso ver a mão de Deus nisto assim: Quando os homens negociam e negociam e pensam que taparam todos os buracos do "titanic", um rombo maior no casco acontece. É desesperador saber que a cada dia, milhares de empregos de pais e mães de família estejam virando pó. Hoje, encontrei com um irmão de Igreja, e ele disse para mim que está desempregado desde maio. E toda esta devastação que vem acontecendo na economia nacional vem da roubalheira e da hipocrisia dos agentes políticos do governo que aí está. Até 2014, nós presenciávamos os candidatos falando mentiras e repetindo promessas para conquistarem seus cargos. Mas em 2014 a quantidade de mentiras  que nossa Presidente leu na campanha foram tantas, que depois de ter ganhado as eleições, parece que ele ficou profundamente envergonhada da forma com que voltou ao cargo.

A lama que vem de Brasília parece não ter fim. Da mesma forma, teme-se que mais barragens em Mariana cheguem a estourar.

Uma coisa eu sei. Deus começou a esmiuçar esta lama e não vai ficar um cm³ sem que ele exponha à luz do meio-dia. E quando fizer isso, e vai ser no ano que vem, nós vamos ver no meio desta lama tanto políticos quanto pastores, bispos, apóstolos, igrejas e etcéteras...

É espantosa a hipocrisia desta gente, que faz banquetes para banqueiros, mineradores e empreiteiros e das suas mesas derrubam migalhas para os pobres e miseráveis, dizendo que os ama e se importam com eles. Ama, o caramba!

Amém! Vai fundo JEOVÁ. Limpa este paiol de ratos que o diabo construiu neste país. Eles  destroem o futuro das crianças, dos jovens, dos pobres e dos miseráveis desta nação. Dai-lhes a devida paga, e abençoe este Brasil com novos líderes, que não venham deste mesmo saco de farinha.



segunda-feira, 13 de julho de 2015

Plutão: faltam poucas horas para a aproximação máxima

Restando apenas algumas horas para o rasante, os instrumentos a bordo da nave New Horizons continuam enviando imagens cada vez mais detalhadas da superfície do planeta anão, cada vez mais surpreendente.

                                                       Clique para ampliar

Na terça-feira de manhã a sonda interplanetária New Horizons atingirá o ápice de sua missão e às 08:49:57 deverá chegar a apenas 12500 km de distância de Plutão. Essa será a primeira visita ao mais distante dos planetas do Sistema Solar e marcará o início dos estudos locais do planeta.
AO VIVO 07h15 DE TERÇA-FEIRA!
Durante a aproximação, Plutão será sondado por nada menos que sete instrumentos científicos, entre eles as duas câmeras de alta resolução LORRI e RALPH, o espectrômetro ultravioleta ALICE, o espectrômetro de íons PEPSSI e o experimento de análise de interação solar SWAP. Além desses, o experimento REX (Radio Science Experiment) terá a importante tarefa de sondar a temperatura e pressão da atmosfera de Plutão e medir a densidade de sua ionosfera. Além desses instrumentos, a sonda carrega um interessante experimento chamado VBSDC - Venetia Burney Student Dust Counter - que consiste em um medidor de poeira interestelar construído por estudantes da Universidade do Colorado. O nome do experimento é uma homenagem à britânica Venetia Burney, que em 1930, aos 11 anos de idade, sugeriu o nome do planeta. Imagem Histórica
A cena no topo do artigo revela o disco plutoniano visto a 3.9 milhões de km. Ela foi feita em 11 de julho de 2015 e provavelmente é a última foto mais aproximada deste hemisfério, já que esta face não estará visível no momento do encontro. É uma imagem histórica e que provavelmente ilustrará os livros de ciências pelas próximas décadas. Não se sabe exatamente o que são as quatro áreas escuras vista na região equatorial de Plutão (parte inferior da imagem) e nem porque parecem tão perfeitamente espaçadas. De acordo com pesquisadores do Ames Research Center, da Nasa, ainda não é possível nem saber se são planaltos ou planícies ou apenas variações de brilho em uma superfície lisa. Considerando-se o tamanho de Plutão, pode-se especular que a maior área escura vista na cena tem cerca de 480 km de largura. "Comparando com imagens anteriores, vemos que essas regiões são bem mais complexas do imaginamos anteriormente, com as bordas muito irregulares e fortemente definidas", disse o cientista Curt Niebur, do AMES.
Ao vivo
A aproximação máxima da sonda New Horizons ocorrerá nesta terça-feira, às 08h49 e o Apolo11 transmitirá ao vivo o evento, com imagens da NASA-TV. Naturalmente, o evento não contará com imagens geradas em tempo real de Plutão, pois além de inviável não está previsto no script da missão, mas todas as etapas serão reproduzidas em tempo real. Imagens de Plutão em alta resolução só deverão chegar até nós no final da tarde.

Fonte: http://www.apolo11.com/spacenews.php?titulo=Plutao_faltam_poucas_horas_para_a_aproximacao_maxima&posic=dat_20150713-094804.inc

domingo, 21 de junho de 2015

Ricardo Boechat chama o Pr. Silas Malafaia de “explorador da fé alheia”



O jornalista da Band acusa os pastores pela violência contra uma menina de 11 anos adepta do candomblé
Enquanto os acusados de atirar uma pedra em uma criança candomblecista não são identificados os evangélicos são apontados como culpados e as críticas recaem sobre os líderes.
Em seu programa de rádio o jornalista Ricardo Boechat não poupou críticas ao pastor Silas Malafaia a quem ele chama de intolerante e charlatão.  Entre palavras impublicáveis, o jornalista da Band afirmou que Malafaia é “um idiota, um paspalhão, um pilantra, tomador de grana de fiel, explorador da fé alheia”.
Em outro programa Boechat já havia falado contra o presidente da Assembleia de Deus Vitória em Cristo e Malafaia usou o Twitter para contestá-lo.
“Eu não vou te dar palanque porque tu é um otário, tu é um paspalhão. O que eu falei e repito, e não vou partir pra debate com você porque não vou te dar confiança, é o seguinte. Que é no âmbito de igrejas neopentecostais que estão acontecendo atos de incitação à intolerância religiosa, mais do que em outros ambientes”, disse o jornalista.
Malafaia retrucou as acusações e pediu para que Boechat prove que ele engana fiéis e enriquece de forma ilícita.
“Respondi ao jornalista Boechat, porque em seu programa de rádio, ele disse que pastores evangélicos incitam a intolerância e falou de maneira geral. Vou dar a oportunidade de ele provar na justiça o que falou a meu respeito, porque falar no microfone é mole”, escreveu o pastor no Facebook.
O caso de intolerância religiosa protagonizado pela garota de 11 anos que foi apedrejada gerou revolta até mesmo entre os evangélicos que não são a favor da violência. Mas Malafaia levantou uma informação até hoje não comentada pelos veículos de informação.  “O que o estúpido Boechat não sabe é que a mãe da menina que foi apedrejada frequenta nossa igreja. Perguntem para ela se nós incitamos a intolerância”.
Ao que parece o debate entre Ricardo Boechat e Malafaia vai se prolongar, o religioso gravou um vídeo respondendo as acusações do jornalista.

Fonte: Gospel Prime